Fachin aceita pedido de abertura de inquérito contra Temer

Política
Typography

 

Temer responderá por suspeitas de obstrução à Justiça e corrupção

Da Carta Capital

Após as revelações do executivo da JBS Joesley Batista, a Procuradoria Geral da República (PGR) enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de abertura de inquérito para investigar o presidente Michel Temer por obstrução à Justiça e corrupção. Conforme informações veiculadas pela imprensa, Edson Fachin, do STF, acatou o pedido.

Na noite de quarta-feira (17) o jornal O Globo, em sua versão digital, revelou revelou que Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso com Joesley Batista, dono da JBS.  

O peemedebista ouviu do empresário que estava dando ao deputado cassado Eduardo Cunha, atualmente preso em Curitiba, e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para que ficassem calados. Diante da informação, diz a reportagem de O Globo, Temer incentivou: "Tem que manter isso viu". A informação foi confirmada pelo Jornal Nacional com investigadores da Lava Jato. A revelação pode arrasar com um governo já extremamente impopular. 

Leia mais:

"Bomba de proporções inimagináveis estourou nas mãos de Temer", diz jornal Página 12

Editorial: somente eleições diretas podem pacificar a Nação

Doria se antecipa ao "Escola sem Partido" e ameaça punir diretor

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

 

A gravação foi feita em 7 de março deste ano. Segundo a reportagem, Joesley foi ao Palácio do Jaburu, onde Temer o aguardava. No bolso, o empresário guardava um gravador. O devastador registro teria ocorrido logo após a comemoração dos 50 anos de carreira do jornalista Ricardo Noblat.

O presidente e o empresário teriam conversado por cerca de 40 minutos a sós. Joesley afirmou que não foi Temer quem determinou que a mesada fosse dada, mas tinha pleno conhecimento da operação abafa.

Durante a conversa, o empresário teria pedido ajuda ao peemedebista para resolver uma pendência da J&F, holding responsável pela JBS. Temer teria dito que Joesley deveria procurar Rodrigo Rocha Loures para cuidar do problema. 

A relação de Loures com Temer foi revelada por CartaCapital no âmbito de outra investigação, referente à operação Carne Fraca. Dois denunciados no esquema de corrupção montado por frigoríficos e fiscais agropecuários citaram em uma conversa o deputado, à época assessor especial de Temer no Palácio do Planalto, como braço direito do peemdeebista. 

A mesada a Cunha e Funaro já era dada há alguns meses, afirma a reportagem. A Polícia Federal filmou pelo menos uma entrega de 400 mil reais para Funaro. Segundo Joesley, Cunha recebeu 5 milhões de reais após sua prisão, valor referente a um saldo de propina que o deputado cassado teria com ele. 

 

 
 
 

Artigos Relacionados

Entidades pró iniciativa popular devem ir ao STF para derrubar reforma política Entidades pró iniciativa popular devem ir ao STF para derrubar reforma política
OPOSIÇÃO Para representantes da OAB e CNBB e o juiz Marlon Reis, dependendo do que for aprovado v...
Governo ameaça direitos de internautas para favorecer empresas, diz especialista Governo ameaça direitos de internautas para favorecer empresas, diz especialista
POLÍTICA Proposta de Temer visa reformular Comitê Gestor da Internet para permitir entrada...
Laura Carvalho: sem retomada de crescimento ou imposto sobre mais ricos, rombo continua Laura Carvalho: sem retomada de crescimento ou imposto sobre mais ricos, rombo continua
ROMBO DE R$ 159 BILHÕES Para economista, possibilidade de aumentar alíquota de IR no início...

Leia mais
×

×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend