Votação da denúncia contra Temer na Câmara será em 2 de agosto

Política
Typography

 

Serão necessários 342 votos para que denúncia por corrupção passiva contra Temer seja analisada pelo STF

Por Paulo Victor Chagas
Da Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou que a votação do parecer contrário ao prosseguimento da denúncia contra Michel Temer (PMDB-SP) ocorrerá no próximo dia 2 de agosto, após o recesso parlamentar. De acordo com ele, a decisão foi tomada após um acordo feito com as lideranças do governo e da oposição, logo depois de ter sido aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) o relatório que recomenda o arquivamento da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer pelo crime de corrupção passiva.

O entendimento das lideranças, segundo Maia, é que não haveria quórum para que a votação fosse aberta nesta sexta (14) e nem na próxima segunda-feira (17), quando se inicia o recesso. "Eu estava disposto a votar na segunda, mas os líderes da oposição e do governo optaram pelo dia 2 de agosto", disse.

Leia mais:

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Enquanto Moro distrai o País com condenação de Lula, Temer destroi a CLT

Para oligarquia golpista, trabalhador não merece a dignidade reconhecida aos bovinos

Como a Globo está domesticando e pressionando os juízes do TRF-4 para terminar o serviço de Moro

Para que a Câmara autorize que a denúncia apresentada pela PGR seja analisada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), são necessários os votos de dois terços da Casa, o que representa 342 deputados. De acordo com o presidente, a votação pode ser iniciada assim que 342 dos 513 deputados estiverem presentes em plenário.

A sessão está marcada para ter início às 9h. "Espero que no dia 2 de agosto à noite a gente possa ter esse assunto encerrado", disse o presidente. Maia explicou ainda que, antes da votação, deverão ser dados 25 minutos para que o relator do parecer e a defesa do presidente exponham seus argumentos novamente.

Nesta quinta-feira (13), a CCJ votou dois pareceres diferentes a respeito da denúncia apresentada pela PGR contra Temer. O primeiro, de autoria de Sergio Zveiter (PMDB-RJ), era a favor da admissibilidade da denúncia e foi rejeitado por 40 votos a 25. Já o segundo parecer pelo arquivamento da denúncia, apresentado pelo deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), foi aprovado por 41 votos a 24. 

Artigos Relacionados

Entidades pró iniciativa popular devem ir ao STF para derrubar reforma política Entidades pró iniciativa popular devem ir ao STF para derrubar reforma política
OPOSIÇÃO Para representantes da OAB e CNBB e o juiz Marlon Reis, dependendo do que for aprovado v...
Governo ameaça direitos de internautas para favorecer empresas, diz especialista Governo ameaça direitos de internautas para favorecer empresas, diz especialista
POLÍTICA Proposta de Temer visa reformular Comitê Gestor da Internet para permitir entrada...
Laura Carvalho: sem retomada de crescimento ou imposto sobre mais ricos, rombo continua Laura Carvalho: sem retomada de crescimento ou imposto sobre mais ricos, rombo continua
ROMBO DE R$ 159 BILHÕES Para economista, possibilidade de aumentar alíquota de IR no início...

Leia mais
×

×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend