França: Mélenchon, candidato de esquerda, cresce e empata com direitista para presidência

Internacional
Typography

 

Mélenchon fez comício para 70 mil pessoas em Marselha

Do Opera Mundi

O candidato de esquerda Jean-Luc Mélenchon (do partido A França Insubmissa) cresceu nas últimas pesquisas para a eleição presidencial na França e aparece em empate técnico com – ou superando – François Fillon, candidato de direita do partido Os Republicanos.

A sondagem do instituto BVA, publicada na sexta (10/04), coloca, no primeiro turno, Marine Le Pen (Front National, extrema-direita) e Emmanuel Macron (En Marche, centro) com 23% das intenções de voto cada um, seguidos por Fillon e Mélenchon, com 19%, e por Benoît Hammon, do Partido Socialista, com 8,5%. Mélenchon subiu quatro pontos em relação à semana anterior.

Leia mais:

Professores da Argentina param por 24 horas após violência policial durante protesto em Buenos Aires

O discurso de ódio

Konder Comparato: "Não está fora de cogitação um novo golpe"

Já a pesquisa da Kantar, encomendada pelos canais LCI, RTL e pelo jornal Le FIgaro, põe Macron e Le Pen com 24%, Mélenchon com 18%, Fillon com 17%, e Hamon, com 9%.

Neste final de semana, o candidato de esquerda fez um grande comício em Marselha, no qual reuniu 70 mil pessoas, em que fez um discurso dizendo que será o “presidente da paz.” “Devemos chegar à raiz dos problemas e resolvê-los. A imigração é sempre um exílio forçado, o sofrimento. É hora, acima de tudo para pôr fim às guerras que assolam o Sul”, afirmou.

“As guerras nunca deixaram de ser outra coisa senão uma disputa para monopolizar matérias-primas”, prosseguiu, criticando o presidente dos EUA, Donald Trump, pelo bombardeio na Síria. Para Mélenchon, o ataque não tem "nenhum fundamento, nenhuma legitimidade internacional."

 

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Segundo turno

 

Os resultados nas pesquisas abriram a especulação sobre se Mélenchon estará no segundo turno, discussão que, até semana passada, só envolvia os nomes de Le Pen e Macron. Isso fez com que Mélenchon passasse a ser atacado.

 

Macron reagiu ao discurso do postulante de esquerda em Marselha. “Isso que ele propõe não é paz. Ele propõe nos desarmar e pensar que tudo vai ficar bem. Na melhor das hipóteses, é ingenuidade; na pior, é irresponsabilidade”, afirmou.

 

Já o secretário-geral d’Os Republicanos, Bernard Accoyer, chamou nesta segunda-feia (10) Mélenchon de “utopia” em entrevista ao programa de TV L’Opinion.

 

Uma pesquisa mostra que, em um eventual segundo turno entre Mélenchon e Le Pen, ele ganharia com 57% dos votos.

 

 

 

Artigos Relacionados

Assembleia Constituinte da Venezuela decide assumir parte das funções do Poder Legislativo Assembleia Constituinte da Venezuela decide assumir parte das funções do Poder Legislativo
AMÉRICA DO SUL Presidente da ANC, Delcy Rodríguez, disse que pretende regulamentar com urgê...
"A face da guerra moderna é assustadora", diz historiador estadunidense
DRONES Em entrevista à Caros Amigos, o historiador Peter Kuznick comenta a guerra...
"Império" de Washington estaria desmoronando devido à rebelião dos países "vassalos"?
GEOPOLÍTICA Os incessantes esforços de Washington para cercar e castigar os países que...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×

×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend