Pepe Mujica convoca para encontro em Montevidéu pelo “combate do futuro”

Internacional
Typography

Pepe Mujica convoca para encontro em Montevidéu pelo “combate do futuro”

Por Revista Fórum

A capital uruguaia sedia, até este sábado (18), o Encontro de Montevidéu, como parte da Jornada Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo. O senador e ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, convoca “organizações sociais, correntes sindicais e partidos políticos que lutam pela igualdade e liberdade na América Latina”.

Mujica ressalta que muitas dessas organizações participaram das lutas que derrotaram as pretensões dos Estados Unidos de criar a Área de Livre Comércio das Américas (Alca) em 2005. “Seguimos conscientes dos desafios da América Latina, da necessidade de defesa ante o mundo transnacional e a crescente desigualdade, contra as ameaças à nossa soberania, nosso equilíbrio ecológico, a falta de oportunidades aos jovens”, disse o ex-presidente. De acordo com ele, “a proposta é fazer um balanço, traçar perspectivas, tentar caminhar para uma realidade melhor do que a atual e fazer o combate do futuro”.

Leia mais:

Funcionários da Eletrobras denunciam contradições na tentativa de privatização

Por matéria falsa, "Veja" é condenada a indenizar família de Luiz Gushiken

PUBLICIDADE

Muhammad bin Salman, o "Senhor Tudo" que revoluciona a Arábia Saudita

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era anunciado como presença “a confirmar” para uma das mesas, mas o Instituto Lula informou que ele não estará no evento. Participam ainda representantes da Assembleia Nacional Constituinte (ANC) da Venezuela, da instituição argentina Mães da Praça de Maio, e da CUT (com Beatriz Cerqueira, presidenta da central em Minas Gerais), entre outras inúmeras entidades.

Embora ausente, o ex-presidente enviou mensagem na qual saúda “os milhares de líderes e militantes do Uruguai e dos mais diversos países da América Latina que participaram do movimento de afirmação e resistência” durante os governos progressistas na região, entre os quais o dele próprio.

“Os governos progressistas, em sintonia com os movimentos populares, souberam promover grandes transformações econômicas, sociais e culturais em nosso continente, conquistando uma dignidade inédita para nossos povos”, disse. Lula reconheceu não ter feito “tudo o que gostaríamos nem tudo o que era necessário, mas avançamos bastante no desenvolvimento compartilhado e na integração da América Latina”.

Segundo a organização do evento em Montevidéu, sob o slogan “Nenhum passo para trás! Nós, povos, continuamos em luta!”, os movimentos e organizações sociais propõem criar  “um processo de articulação e lutas contra a ofensiva dos setores conservadores e do capital no continente”.

“Em 2016, mobilizamos ações em dezenas de países que marcaram nossa rearticulação após o Encontro de Havana, onde nos reunimos em novembro de 2015 para comemorar 10 anos da derrota da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA). Nesse processo, continuamos a impulsionar nossas resistências e nossas propostas para uma sociedade estruturada sobre os princípios da igualdade, da autodeterminação dos povos”, dizem os organizadores.

Artigos Relacionados

O acerto de contas fascista com a desordem neoliberal O acerto de contas fascista com a desordem neoliberal
URGÊNCIA O antídoto no Brasil chama-se frente ampla. O fator Trump sugere que o tempo para...
Secretário de Estado dos EUA sugere golpe militar na Venezuela Secretário de Estado dos EUA sugere golpe militar na Venezuela
AMÉRICA DO SUL  Já no ano passado, em meio à convocação da Assembleia Nacional...
Turquia inicia operação militar terrestre e aérea contra curdos na Síria Turquia inicia operação militar terrestre e aérea contra curdos na Síria
ORIENTE MÉDIO No início deste sábado, presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade