"Império" de Washington estaria desmoronando devido à rebelião dos países "vassalos"?

Internacional
Typography

"Império" de Washington estaria desmoronando devido à rebelião dos países "vassalos"?

Por Sputnik Brasil

Mercier, autor do livro "The Orwellian Empire", que fala da gradual "decadência" de Washington como império, e editor-chefe do portal News Junkie Post, assegura que a agenda antirrussa não desapareceu das prioridades dos políticos americanos.

"Qualquer país ou grupo de países que desafie a hegemonia americana será, em última instância, um objetivo para o império, (alvo) econômico e eventualmente militar, através de guerras subsidiárias ou revoluções falsas", afirmou o analista.

"Por mais que seja paradoxal, a incessante necessidade americana de isolar e inclusive castigar os países com valor para manter sua soberania nacional acabará isolando os próprios EUA e degradando sua influência global. A Rússia, o Irã, a Coreia do Norte e agora a Venezuela — que está na mira imediata do 'império' através de uma política de mudança de regime disfarçada de revolução — todos (estes países) são exemplos (de resistência)", explicou.

Leia mais:

Lula lidera intenções de voto para presidente em 2018 e venceria em todos os cenários

"O teto de gastos vai ferir de morte o SUS"

Sobre a vontade de mudar o mundo e o pessimismo do acomodado

PUBLICIDADE

Deste modo, armadilhados na mentalidade da Guerra Fria, os "falcões" e os neoconservadores dos EUA continuam batendo seus tambores de guerra sobre ameaças fictícias, considerou.

"Algumas pessoas no Pentágono e em Washington, os chamados 'think tanks' caíram em delírio, crendo e falando publicamente que os militares americanos podem suportar e ganhar, ao mesmo tempo, a Rússia e a China. Isso, naturalmente, não tem qualquer base racional", assegurou Mercier à Sputnik.

Enquanto isso, os governos europeus estão frustrados com a política externa de Washington que ameaça prejudicar a estabilidade e a prosperidade da União Europeia.

"A impugnada e imprudente lei de sanções foi enfrentada com uma forte oposição dos líderes europeus e poderia ser um ponto de reviravolta para finalmente influenciar não somente na opinião dos políticos, mas na opinião pública europeia", assinalou Mercier.

De acordo com o especialista, caso a UE obtenha a independência geopolítica e militar dos EUA, poderia desempenhar um papel de equilibrador.

Mercier considera a OTAN como "ferramenta imperial inteligente para extorquir um tributo dos Estados vassalos e justificar a ocupação militar americana", por isso os europeus precisam reconsiderar sua participação neste bloco militar, opinou.

Apesar dos objetivos declarados da Aliança Atlântica, na realidade é um modo americano de garantir sua presença militar em um país-membro e promover a venda de armas americanas para satisfazer os interesses da indústria armamentista.

"A verdade inconveniente para o 'establishment' dos EUA consiste em que cada império tenha sua data de término, e Washington está se aproximando dela", resumiu.

Artigos Relacionados

Coreia do Norte ameaça testar bomba nuclear de hidrogênio no oceano Pacífico Coreia do Norte ameaça testar bomba nuclear de hidrogênio no oceano Pacífico
ÁSIA Kim Jong-un chamou presidente norte-americano de "senil" e afirmou que republicano é "...
Conselheiro para Segurança Nacional da Casa Branca desmente Trump e nega Conselheiro para Segurança Nacional da Casa Branca desmente Trump e nega "opção militar" na Venezuela
GEOPOLÍTICA Declaração chega exatamente duas semanas depois de o mandatário ter dito que...
Rússia: Coalizão dos EUA bombardeia tropas sírias e deixa terroristas escaparem do cerco Rússia: Coalizão dos EUA bombardeia tropas sírias e deixa terroristas escaparem do cerco
GEOPOLÍTICA O Ministério da Defesa russo acusou a coalizão liderada pelos EUA de bombardear...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend