"Império" de Washington estaria desmoronando devido à rebelião dos países "vassalos"?

Internacional
Typography

"Império" de Washington estaria desmoronando devido à rebelião dos países "vassalos"?

Por Sputnik Brasil

Mercier, autor do livro "The Orwellian Empire", que fala da gradual "decadência" de Washington como império, e editor-chefe do portal News Junkie Post, assegura que a agenda antirrussa não desapareceu das prioridades dos políticos americanos.

"Qualquer país ou grupo de países que desafie a hegemonia americana será, em última instância, um objetivo para o império, (alvo) econômico e eventualmente militar, através de guerras subsidiárias ou revoluções falsas", afirmou o analista.

"Por mais que seja paradoxal, a incessante necessidade americana de isolar e inclusive castigar os países com valor para manter sua soberania nacional acabará isolando os próprios EUA e degradando sua influência global. A Rússia, o Irã, a Coreia do Norte e agora a Venezuela — que está na mira imediata do 'império' através de uma política de mudança de regime disfarçada de revolução — todos (estes países) são exemplos (de resistência)", explicou.

Leia mais:

Lula lidera intenções de voto para presidente em 2018 e venceria em todos os cenários

"O teto de gastos vai ferir de morte o SUS"

Sobre a vontade de mudar o mundo e o pessimismo do acomodado

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Deste modo, armadilhados na mentalidade da Guerra Fria, os "falcões" e os neoconservadores dos EUA continuam batendo seus tambores de guerra sobre ameaças fictícias, considerou.

"Algumas pessoas no Pentágono e em Washington, os chamados 'think tanks' caíram em delírio, crendo e falando publicamente que os militares americanos podem suportar e ganhar, ao mesmo tempo, a Rússia e a China. Isso, naturalmente, não tem qualquer base racional", assegurou Mercier à Sputnik.

Enquanto isso, os governos europeus estão frustrados com a política externa de Washington que ameaça prejudicar a estabilidade e a prosperidade da União Europeia.

"A impugnada e imprudente lei de sanções foi enfrentada com uma forte oposição dos líderes europeus e poderia ser um ponto de reviravolta para finalmente influenciar não somente na opinião dos políticos, mas na opinião pública europeia", assinalou Mercier.

De acordo com o especialista, caso a UE obtenha a independência geopolítica e militar dos EUA, poderia desempenhar um papel de equilibrador.

Mercier considera a OTAN como "ferramenta imperial inteligente para extorquir um tributo dos Estados vassalos e justificar a ocupação militar americana", por isso os europeus precisam reconsiderar sua participação neste bloco militar, opinou.

Apesar dos objetivos declarados da Aliança Atlântica, na realidade é um modo americano de garantir sua presença militar em um país-membro e promover a venda de armas americanas para satisfazer os interesses da indústria armamentista.

"A verdade inconveniente para o 'establishment' dos EUA consiste em que cada império tenha sua data de término, e Washington está se aproximando dela", resumiu.

Artigos Relacionados

Rússia: Coalizão dos EUA bombardeia tropas sírias e deixa terroristas escaparem do cerco Rússia: Coalizão dos EUA bombardeia tropas sírias e deixa terroristas escaparem do cerco
GEOPOLÍTICA O Ministério da Defesa russo acusou a coalizão liderada pelos EUA de bombardear...
China comenta China comenta "mérito" de Trump em "isolar a Rússia na ONU"
EUA A Casa Branca acredita que Donald Trump alcançou "o isolamento da Rússia na ONU " durante os...
McCain admite liderança da Rússia no Oriente Médio McCain admite liderança da Rússia no Oriente Médio
GEOPOLÍTICA O presidente Vladimir Putin consegui para o seu país o papel de líder no Oriente...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×

×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend