Brasileiros lançam Comitê pela Paz na Venezuela e assinam manifesto em defesa da Constituinte

Internacional
Typography


Documento será entregue nesta sexta-feira (4) no Consulado de Venezuela, em São Paulo

Da Redação

Em apoio à Venezuela e ao processo eleitoral para a Assembleia Nacional Constituinte realizado no último domingo (30/7) no país, um grupo de brasileiros formou o "Comitê pela Paz na Venezuela" nesta segunda-feira (31). 

Composto por 28 entidades, entre elas partidos políticos, organizações sociais e veículos da mídia alternativa, o grupo lançou um manifesto que critica a posição do governo Temer (PMDB) - que se opôs à realização da Constituinte  - e convoca os brasileiros "à defesa da autodeterminação de nossos irmãos venezuelanos".

“O Brasil não pode passar pela infâmia de se aliar a governos que conspiram contra uma nação livre e se associam a facções dedicadas a tomar o poder de assalto, apelando para o caos e a coação. Convocamos todos os brasileiros e brasileiras à defesa da democracia e da autodeterminação de nossos irmãos venezuelanos, ao seu direito de viver em paz e a definir o próprio destino”, afirma o documento.

"Também no Brasil se farão ouvir as vozes que rechaçam a violência e a sabotagem contra o governo legítimo do presidente Nicolás Maduro. Qual moral tem um usurpador como Michel Temer para falar em democracia, violando a própria Constituição de nosso País, ao adotar posições que ofendem a independência venezuelana?", criticou o manifesto, que será entregue nesta sexta-feira (4) no Consulado de Venezuela em São Paulo. 

 O comitê recebe adesões pelo email paznavenezuelabr@gmail.com.

Leia na íntegra.

"O povo venezuelano, livre e soberano, retomou em suas mãos o poder originário, elegendo massivamente representantes para a Assembleia Nacional Constituinte.

Mais de oito milhões compareceram às urnas, apesar do boicote e da sabotagem de grupos antidemocráticos, em um processo acompanhado por personalidades jurídicas e políticas internacionais que atestaram lisura e transparência.

Todas as cidades, classes e setores estão presentes, com seus delegados, na máxima instituição da democracia venezuelana.

A Constituinte é o caminho para a paz e a normalidade, para retomar o caminho do desenvolvimento e da prosperidade, para superar a crise institucional e construir um programa que reunifique a pátria vizinha.

De forma pacífica e democrática, milhões de cidadãos e cidadãs disseram não aos bandos terroristas, às elites mesquinhas, aos golpistas e à ingerência de outros governos.

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Homens e mulheres de bem, no mundo todo, devem celebrar esse gesto histórico de autodeterminação da Venezuela, repudiando as ameaças intervencionistas e se somando a uma grande corrente de solidariedade.

 

Também no Brasil se farão ouvir as vozes que rechaçam a violência e a sabotagem contra o governo legítimo do presidente Nicolás Maduro.

Qual moral tem um usurpador como Michel Temer para falar em democracia, violando a própria Constituição de nosso país, ao adotar posições que ofendem a independência venezuelana?

O Brasil não pode passar pela infâmia de se aliar a governos que conspiram contra uma nação livre e se associam a facções dedicadas a tomar o poder de assalto, apelando para o caos e a coação.

Convocamos todos os brasileiros e brasileiras à defesa da democracia e da autodeterminação de nossos irmãos venezuelanos, ao seu direito de viver em paz e a definir o próprio destino.

Repudiamos as manobras de bloqueio e agressão que estão sendo tramadas nas sombras da Organização dos Estados Americanos (OEA), sob a batuta da Casa Branca e com a cumplicidade do governo golpista de nosso país.

Denunciamos o comportamento repulsivo dos meios de comunicação que manipulam informações e atropelam a verdade, para servir a um plano de desestabilização e isolamento.

Declaramos nossa solidariedade ao bravo povo de Bolívar. Sua luta pela paz também é nossa.

Comitê brasileiro pela paz na Venezuela 

 

Artigos Relacionados

CIDH pede que governo argentino investigue paradeiro de ativista mapuche CIDH pede que governo argentino investigue paradeiro de ativista mapuche
ARGENTINA Santiago Maldonado, jovem de 28 anos, está desaparecido desde o início do mês e foi...
Chanceler alemã: Berlim não apoiará automaticamente EUA em caso de guerra com Pyongyang Chanceler alemã: Berlim não apoiará automaticamente EUA em caso de guerra com Pyongyang
GEOPOLÍTICA Berlim não ficará automaticamente do lado de Washington em caso de conflito...
Imperialismo em nova fase não se limita à pilhagem, mas busca destruição dos estados nacionais Imperialismo em nova fase não se limita à pilhagem, mas busca destruição dos estados nacionais
GEOPOLÍTICA O "novo mapa" do Pentágono deixa Brasil, Argentina e Uruguai de fora, mas inclui...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×

×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend