Mariana: Natal com sinais de Apocalipse

Especial Mariana
Typography

 

Natal com sinais de Apocalipse

Por Sávio Tarso
Fotos: Nilmar Lage

Chocolate é um sabor que combina com as festas de Natal e Ano Novo. Porém, não era esse presente que os moradores do Vale do Rio Doce queriam receber nos momentos derradeiros desse ano que entrou para a História. “Saí de manhã, 5h30, o rio já estava como chocolate. Parecia a mesma água no dia da grande tragédia. Procurei informações com alguns amigos de empreiteiras que disseram que houve muita chuva em Santa Rita de Ouro Preto, mas já vi temporadas de chuvas como estas antes e a água que descia não era assim. A marca do leito do rio subiu em 2 metros com uma água bem suja, grossa e com muitas pedras que foram arrancadas dos barrancos. Estamos com muito medo porque para quem passou o que a gente passou, vamos sempre ficar com muitos receios”, afirma Natanael Dias de Souza, o morador do município de Barra Longa (MG), cerca de 60 quilômetros da leste de Bento Rodrigues, distrito de Mariana (MG).

Mariana-BarraLonga-RioDoce-Nilmar-Lage2-i
Lama "chocolate" e pedras descem pelo Rio Doce novamente antes do Natal e deixa moradores apreensivos (Foto: Nilmar Lage)

A esperança de um tempo novo com as festas do nascimento do menino Jesus foi substituída pelos tons assustadores das correntezas de lama, dejetos químicos, troncos, galhos e rochas. O sentimento de medo voltou a dominar a população que reside próximo à barragem de Germano, uma das várias da região com suspeitas de possuírem contenções com graves rachaduras. Outro morador do local, Paulo Pedro Quitino Pereira, confirma a “sensação de medo, pois a água com a mesma cor que desceu no dia em que a barragem do Fundão cedeu, reapareceu na segunda-feira, dia 21 de dezembro. Uma água pesada e barrenta veio como se fosse mar, com ondas altas e frequentes”.

Bloqueio de bens e água potável

Os sinais que apavoram as pessoas em Barra Longa surgem três dias após a Justiça Federal de Minas Gerais ter determinado o bloqueio de bens da Vale e da anglo-australiana BHP Billiton, detentoras de partes iguais da joint venture Samarco, alegando que a última não tem patrimônio suficiente para o ressarcimento integral dos danos sócioambientais causados pelo desastre. 

A Samarco também sofreu outra derrota importante no dia 17/12. Sem consultar nenhum órgão oficial, a mineradora havia interrompido o serviço de oferta gratuita de àgua mineral para a população. Por força de outra ordem da Justiça, a empresa foi obrigada a manter a distribuição de água potável para as regiões afetadas, sob pena de pagar multa de R$ 1 milhão por dia. O Ministério Público Federal considerou que a suspensão do fornecimento de água geraria um verdadeiro caos social nos municípios que ainda não normalizaram o abastecimento de água potável.
 
Leia Mais:

Especial Mariana

PUBLICIDADE

Colunistas

Manoel de Barros de cor e salteado

+Conteúdo: Especial "Um Brasil com mais educação"

A imagem de três capivaras tentando fugir da lama nos remete ao Apocalipse do dia 5 de novembro, data do rompimento da barragem do Fundão, em Mariana. Milhares de exemplares da fauna e flora ligadas ao ecossistema da Bacia Hidrográfica do Rio Doce morreram ou estão como elas: em busca de algum porto seguro e de um salvador.

Mariana-BarraLonga-RioDoce-Nilmar Lage4-i
Margens do Rio Doce, em Barra Longa (MG), cerca de 60 Km a leste do distrito de Bento Rodrigues (foto: Nilmar Lage)

Um clima apreensivo nos envolve e não sabemos quais profecias prevalecerão nesta data comemorativa. As sentenças da Justiça serão capazes de reacender a chama da esperança de dias melhores para todos com o renascimento da Bacia Hidrográfica? Ou os indícios de um possível rompimento das contenções em outras barragens são prenúncios de uma nova e previsível catástrofe?

Redenção ou Juízo Final

As consequências de uma nova tragédia com as dimensões colossais da primeira são inimagináveis. A única certeza agora é que enquanto o mundo celebra o advento do Redentor, o Rio Doce teme estar próximo de seu Juízo Final.

 

Artigos Relacionados

Após pressão, Marinha retira sigilo de estudo sobre lama no Rio Doce Após pressão, Marinha retira sigilo de estudo sobre lama no Rio Doce
MARIANA Lama vinda de barragens da Samarco com rejeitos de mineração seguiram ao longo do leito do...
MP vai à Justiça para obrigar Samarco a conter lama em 5 dias MP vai à Justiça para obrigar Samarco a conter lama em 5 dias
TRAGÉDIA DE MARIANA Ministério Público entra com ação para que mineradora seja obrigada a...
Mariana: ONU consulta os Mariana: ONU consulta os "novos degredados" do Rio Doce
OS NOVOS DEGREDADOS A Samarco não apresentou nenhum plano claro e contundente para reparar a...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade