LIVRO LANÇAMENTO Pedro Lobo de Oliveira. A trajetória do guerrilheiro bonachão, hoje com 80 anos, que participou da luta armada durante os anos de chumbo, traça um paralelo da história do Brasil e as organizações da esquerda no período. Após sete anos de pesquisa e a partir da percepção de que faltava um livro sobre a resistência à ditadura militar com uma linguagem acessível, o jornalista João Roberto Laque lança Pedro e os Lobos – Os anos de chumbo na trajetória de um guerrilheiro urbano, pela Ava Editorial. Por Gabriela Moncau

POLÍTICA CULTURAL “O dia 25 de julho de 2011 vai ficar marcado como um dia dedicado à cultura brasileira. O dia em que os trabalhadores da cultura perderam a paciência”, anunciou no microfone um dos integrantes da manifestação de cerca de 700 pessoas ligadas à cultura – entre atores, músicos, palhaços, diretores e artistas em geral – que depois de 6 assembleias durante o último mês, marcaram o ato e ocuparam a Funarte (Fundação Nacional de Artes), por volta das 17h na região central de São Paulo. Por Gabriela Moncau

CULTURA Um espaço cultural autônomo está se estruturando e prestes a ser inaugurado na cidade de São Paulo. A ideia do Espaço Autônomo Casa Mafalda, como foi batizada a sede cultural que ocupará o atual Estúdio Fábrica Lapa, está sendo encampada pelo Autônomos & Autônomas FC, time de futebol – hoje composto por duas equipes de futebol de campo masculino e um de futsal feminino – criado em 2006 e autogerido por punks, anarquistas e ativistas de São Paulo. Por Gabriela Moncau

 

BRASIL SEM AGROTÓXICOS No dia 25 de julho, foi lançado no Rio de Janeiro o documentário "O Veneno está na Mesa", de Silvio Tendler. Em cerca de 60 minutos, o filme mostra como o país facilita o consumo dos agrotóxicos e como movimentos sociais e setores do próprio governo como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Nacional do Câncer (Inca) têm tentado, de formas distintas, alertar sobre o problema. Por Raquel Júnia

CINEMA Nascido na Argentina, o cineasta Carlos Pronzato vive no Brasil desde 1989. Durante este período, desenvolveu um esquema próprio de produção e distribuição de seus filmes. Assim, Pronzato pode dizer que tem a liberdade de abordar o tema que quiser em seus filmes, sem precisar dar satisfações a ninguém. Quando é convidado para participar de algum debate, o diretor leva junto consigo uma “banquinha”, onde vende seus filmes e livros. Por Otávio Nagoya

LANÇAMENTO O documentarista Silvio Tendler lança livro que reúne o roteiro de quatro importantes produções suas: “Castro Alves: o retrato falado do poeta” (1999), “Marighella: retrato falado do guerrilheiro” (2000), “Glauber, o filme: labirinto do Brasil” (2003), “Encontro com Milton Santos: o mundo global visto do lado de cá” (2007). Por Gabriela Moncau.

Mais artigos...

×

×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend