Massacre de Eldorado dos Carajás ganha série na web; assista a episódio

Cultura
Typography

Audiovisual tem como fio a história de um sobrevivente

Da Redação

Lançada segunda-feira (17), a websérie A Farsa: Ensaio Sobre a Verdade retrata os 21 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás e seus efeitos colaterais. Há 21 anos, no 17 de abril de 1996, 19 militantes do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Sem Terra (MST), que ocupavam um trecho da rodovia PA-150, conhecido como a "curva do S", na cidade de Eldorados Carajás (PA), foram brutalmente assassinados em uma ação da Polícia Militar.

A Farsa: Ensaio Sobre a Verdade foi uma iniciativa da Companhia de Teatro Estudo de Cena que teve como referência a peça A Farsa da Justiça Burguesa, montada em 2005 para ser apresentada na marcha nacional do MST. A peça, escrita pelo diretor e ator Sergio de Carvalho, um dos fundadores da Companhia do Latão, conta a história de um sobrevivente do massacre que se fingiu de morto para escapar. Mas ao ser encenada naquela data, a polícia interviu violentamente na marcha e a peça não chegou ao fim.

Segundo o diretor da websérie, Diogo Noventa, o Grupo Estudo de Cena adaptou em 2012 a peça e apresentou em diversos estados, percebendo o impacto que a memória do massacre disparava nas pessoas.

Leia mais:

Sociedade de consumo e a maldição do fetichismo

Oscar Niemeyer: "O importante é a vida de mão dada" 

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Neoliberalismo: Fascismo social e fascismo político

Em 2014, o grupo participou do Acampamento Pedagógico da Juventude do MST, encenando a peça no exato local do massacre, na "curva do S”. As filmagens que acabaram fazendo parte da série começaram neste encontro. Diogo conta que decidiu montar esse material audiovisual tanto para retomar esse episódio de 2005, como também para preservação de memória e resistência sobre a história do massacre. “Acho que nos tempos de hoje é algo muito importante nós trabalharmos com a memória. É um assunto muito doloroso, mas reativar a memória é essencial, não para ficar no lamento, mas como uma forma de se criar consequências de combate a partir disso.”

A companhia adaptou a história em 21 episódios, que contêm desde relatos de sobreviventes, como também a marcha de 300 pessoas pela floresta até o cemitério onde estão enterrados os trabalhadores assassinados. “Na websérie temos testemunhos de alguns sobreviventes. Em 2014 nós nos encontramos com o Inácio Nascimento, que é o personagem central dessa peça e filmamos com ele, mas ele não quis falar do Massacre em si. Pessoas envolvidas com a primeira montagem da peça também foram entrevistadas, como o Sérgio Carvalho, dramaturgo, além de atores”, diz Diogo .

A série será exibida em espaços públicos, como assentamentos, universidades, praças e parques de nove cidades paulistas, com programação final ainda a ser definida. Cada projeção será acompanhada pela apresentação da peça que inspirou o audiovisual. Após o lançamento público, os episódios serão lançados em canal do YouTube.

A Companhia Estudo de Cena tem em seu histórico produções que narram revoltas populares que não são lembradas pela história oficial do País, mas que pertencem ao imaginário coletivo de parte do povo brasileiro e retratam a diversidade de nossa cultura. Um exemplo é o espetáculo Guerras Desconhecidas, criado em 2013, que apresenta ao público a história de três revoltas que não aparecem na história oficial: a Guerra do Pau de Colher, a Guerra de São Bonifácio e a Guerra do Gatilheiro. Inspirado no caderno Guerras Desconhecidas do Brasil.

Assista abaixo ao primeiro episódio da websérie:

 

Artigos Relacionados

Resistência cultural em Joinville Resistência cultural em Joinville
TEATRO POPULAR Casa Iririu, criada por iniciativa de artistas de teatro, abre novas perspectivas de...
MG: ocupação artística reivindica fim da fratura entre trabalho intelectual e manual MG: ocupação artística reivindica fim da fratura entre trabalho intelectual e manual
RELAÇÕES "O que há em comum entre artistas plásticos e trabalhadores? É talvez, por não...
André Sturm é vaiado em abertura do Festival de Cinema Latino-Americano de SP André Sturm é vaiado em abertura do Festival de Cinema Latino-Americano de SP
GESTÃO DORIA Secretário municipal de Cultura foi convidado para discursar, mas ouviu um coro...

Leia mais

Correio Caros Amigos

 
powered by moosend
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×

×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend