“Vamos recorrer às Cortes Internacionais”, diz deputada sobre condenação de Lula

Cotidiano
Typography



"Moro escolheu dia em q CCJ inicia debate sobre denúncia de corrupção contra Temer para condenar Lula sem provas! Desfaçatez",  disse a deputada Maria do Rosário (PT)

Do Brasil de Fato

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pelo juiz federal de primeira instância Sérgio Moro, a nove anos e seis meses, gerou imediatamente reações negativas no Congresso. 

“Vamos recorrer dessa condenação farsesca de Moro contra Lula às Cortes Internacionais. Lula é perseguido político por liderar pesquisas. Condenação de Lula é eminentemente política e tem o único objetivo de torná-lo inelegível. É o golpe dentro do golpe”, escreveu nas redes a deputada federal Erika Kokay (PT-DF). 

ErikaKokay

Wadih Damous, deputado federal (PT-RJ) e ex-presidente da seccional fluminense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), se posicionou, em transmissão ao vivo no Facebook, criticamente em relação à sentença de Moro: “Se estivéssemos vivendo em um tempo de normalidade, em um Estado Democrático de Direito, o processo sequer chegaria a esse momento final e teria sido arquivado. Sem ler a sentença, posso afirmar que se trata de uma peça jurídica imprestável. Não há provas que incriminem o ex-presidente Lula. Ao contrário, quem fez prova de inocência, sem obrigação de fazê-lo, foi a defesa”.

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

"Moro escolheu dia em q CCJ inicia debate sobre denúncia de corrupção contra Temer para condenar Lula sem provas! Desfaçatez",  disse a deputada Maria do Rosário (PT)

Rosário

Já o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), também em transmissão no Facebook, afirmou que “esse pessoal da Lava Jato sempre atuou em cima do timing político. Eles condenam agora para dar tempo de tirar Lula do jogo [eleitoral]. Tem que ter reação nossa, tem que ter mobilização! É a continuidade do golpe! Eles sabem que Lula não para de crescer, porque estão destruindo o Brasil”, criticou o senador lembrando que o ex-presidente só se torna inabilitado após confirmação da condenação em segunda instância. 

Os oponentes do petista, por sua vez, comemoram a decisão.

“Justiça sendo feita contra um criminoso que tantos prejuízos trouxe ao Brasil com seu projeto de poder”, escreveu o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) em seu Twitter.

Já o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP),  filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ), relacionou a sentença com a aprovação do desmonte da legislação laboral: “Reforma Trabalhista aprovada + condenação Lula = volta da confiança no Brasil”. 

Artigos Relacionados

Coletivos LGBT protestam em SP contra decisão sobre Coletivos LGBT protestam em SP contra decisão sobre "cura gay"
NÃO À HOMOFOBIA Ato na Avenida Paulista foi uma resposta à liminar que abre caminho para a...
Juristas debatem criação de frente contra conservadorismo no sistema de justiça Juristas debatem criação de frente contra conservadorismo no sistema de justiça
ARTICULAÇÃO Profissionais do Direito estudam criar uma associação de caráter nacional para...
Julgamento de policial que matou sem terra ressuscita velhos discursos contra o MST Julgamento de policial que matou sem terra ressuscita velhos discursos contra o MST
JUSTIÇA Militantes do MST organizaram vigília em frente ao Fórum Central de Porto Alegre...

Leia mais
×

×
CORREIO CAROS AMIGOS
powered by moosend