“A paciência com esse governo golpista acabou”, diz Boulos

Cotidiano
Typography

 

O líder do MTST criticou a imparcialidade do Judiciário e da mídia durante a crise política do País

Da Redação

Cerca de 1 milhão de pessoas ocuparam as ruas do País nesta quarta-feira (15), Dia Nacional de Mobilização e Paralisação Contra a Reforma da Previdência, convocado por centrais sindicais, e pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Em São Paulo, na Avenida Paulista, além da contribuição de dirigentes sindicais e movimentos sociais, o ato contou com a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Guilherme Boulos, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Teto (MTST), também esteve presente na manifestação e criticou a reforma da Previdência proposta pelo governo em exercício. Acompanhado pelos gritos de "Fora, Temer", Boulos classificou o "15 M" como um dia histórico e foi enfático: "A paciência com esse governo golpista acabou. Esse foi o recado das paralisações, das mobilizações de norte a sul deste País".

Leia mais:

SP: Milhares se posicionam contra a reforma da Previdência e gritam "Fora Temer"

PUBLICIDADE
,
PUBLICIDADE

Frei que atua contra a mineração é ameaçado de morte em MG

Não é reforma, é a venda da Previdência

O líder dos sem-teto reforçou a grande resistência que movimentos sociais e entidades seguirão organizando contra as reformas de Temer. "Nós vamos cobrar cada deputado que está a favor da reforma e vamos à base deles para dizer que deputado contra a aposentadoria não terá voto do povo no ano que vem. Mais do que isso: se eles insistirem em votar esse absurdo, no dia da votação, nós vamos tomar Brasília e não vamos deixar isso acontecer", declarou Boulos.

A imparcialidade da grande imprensa e do Judiciário durante os últimos períodos de polarização e crise política no País também foi criticada por ele. "Nós vamos ter que continuar numa luta árdua, numa luta dura. Não vai ser fácil. Eles têm a mídia no bolso. Eles têm muitos deputados no bolso. Eles têm a maior parte do Judiciário no bolso. Mas nós temos as ruas e nós temos coerência. E, com isso, nós vamos seguir até a vitória", finalizou o militante. 

 

 

 

Artigos Relacionados

Movimentos fazem vigília contra a condenação do catador Rafael Braga Movimentos fazem vigília contra a condenação do catador Rafael Braga
INJUSTIÇA Ele foi o único preso das manifestações de junho de 2013 e na semana passada foi...
Reforma da Previdência é criticada por igrejas evangélicas históricas Reforma da Previdência é criticada por igrejas evangélicas históricas
RETROCESSOS A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que propõe uma reforma na Previd...
Greve geral terá forte adesão no transporte coletivo na Grande SP Greve geral terá forte adesão no transporte coletivo na Grande SP
28 DE ABRIL Motoristas, cobradores, metroviários e ferroviários de várias cidades da região...

Leia mais

Correio Caros Amigos

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
×